Esse é o luto de quem segue na luta



É tanta lágrima que escorre,
Quando um dos nossos morre.
E velório é reunião,
Onde vamos pra dizer, até mais irmão.

Irmã, mãe, pai,
Um dia todo mundo vai.

Eu apareço só para vê-los deitados,
A ficha não cai se não vejo seus olhos fechados.

Chega a gelar a espinha,
Esperando ele levantar dizendo: "era brincadeira minha".
Mas fecham a tampa e os levam pra terra,
A ultima esperança morre enquanto a vida se encerra.

Oro de casa e choro sozinho,
Peço a Deus que ilumine os caminhos,
E falando em Deus, pergunto por quê?
Levou tão cedo, eu ainda tinha tanto pra dizer,

Pra brindar, pra viver, mas o tempo corre,
Nunca é só uma alma que se parte quando alguém morre.
São milhões de dores sem definição,
E a vontade de ir junto não tem nem explicação.

Ou se eu pudesse ir no lugar,
Nós damos a vida pra ver a vida de quem amamos continuar.
E o peito aperta cada vez mais,
Entre soluços, quase sussurrando digo: Descanse em paz!

~Cazu Faria.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.